Thursday, April 20, 2006


A APAV, Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, é uma organização sem fins lucrativos fundada em 1990 com o objectivo de prestar informação, protecção e apoio às vítimas de crime.

Quem é vítima de crime?
A pessoa que, em consequência de acto ou omissão violadora das leis penais em vigor, tenha sofrido um atentado à sua integridade física ou mental, um sofrimento de ordem moral ou uma perda material.

O conceito de vítima abrange também a família mais próxima, as pessoas a cargo da vítima directa e as pessoas que tenham sofrido um prejuízo na intervenção ou impedimento de situações de vitimização.

A APAV é sobretudo reconhecida pelo seu trabalho e intervenção num grupo específico de vítimas, as mulheres vítimas de maus-tratos, pelo facto de ser este que em maior número recorre aos seus serviços. Contudo, homens e mulheres, crianças e idosos, estrangeiros e minorias étnicas, todos podem ser vítimas de crime.

Sendo as princípais actvidades da APAV ouvir, aconselhar e apoiar todas as vítimas de crime e que sofram dos seus efeitos, o trabalho desta instituição está para além do atendimento ao público, passando pela criação de casas-abrigo, empresas de reinserção social, formação de profissionais que lidam directamente com vítimas (caso das forças de segurança, profissionais do foro, saúde e de apoio social), realização de wokshops e participação em projectos internacionais - PANDORA, PENÉLOPE, DAFNE entre outros.


A APAV assenta no trabalho em regime de voluntariado. Os seus voluntários devem aliar a boa vontade e gosto de ajudar os outros com uma elevada resistência ao stress e formação na área da Psicologia, Direito ou Acção social.

A APAV é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) de utilidade pública reconhecida (Diário da República, III Série, nº 159, de 12/7/90 e III Série, nº 27, de 1/2/91).

Linha de apoio: 707 2000 707 todos os dias úteis das 10h às 13h e das 14h às 17h

Também estou disponível para todas as questões que queiram colocar e em que possa ajudar. Responderei, não em nome da APAV, mas pela experiência como voluntária.

Post Scriptum

Convoquei para o desafio que me propôs o Parrot os seguintes bloggers:

- Ana "Tenho Horror";
- Musas;
- Nuno & Chiara
;

Espero que todos aceitem!

16 comments:

Leonoretta said...

ola eva. a minha ausencia tem sido longa mas vale a pena sempre que passo por aqui. juntas o últil ao agradável. quero dizer... mais útil, neste caso.

beijinhos da leonoreta

Parrot said...

Eva,

Obrigado por aceitares o desafio....a ti, não o coloquei de forma inocente, porque sei que és uma mulher que não se contenta em ver as coisas passar. Aqui está uma boa forma de divulgação e o teu contributo para esta causa.
Beijo

As Musas said...

Bem, depois de ler o teu email e de te fazer aquelas perguntas de "lerda" :-) vim aqui espreitar.
Ok! Eu aceito o desafio, mas provavelmente só para a semana... ando atulhada de trabalho.
Uma boa iniciativa

Joca said...

Como sempre os teus textos são muito educativos e de grande utilidade.
Parabéns pelo post.

Ana said...

Já lá está!!! Feitinho...

Beijinhos

Polly Jean said...

Num blog que mais do que de desabafos, tem um cerne didactico, os meus parabéns pela divulgação da APAV. Como ex voluntária, os meus parabéns. Não esquecer..é preciso mais, muito mais de todos nós, muito mais das vitimas que se calam, muito mais do Estado que se remete ao silêncio, muito mais da justiça que deixa passar em claro, desculpando e minimizando os actos dos agressores.

Parabéns.

Meia Lua said...

Bela iniciativa! Eu também fui desafiada e acho importantíssimo divulgar estas organizações!!! Muita gente não sabe a quem recorrer...
beijinho :*

a lice said...

Só para dizer que voltei e deixar um beijinho de bom fim-de-semana!:)

Isabel-F. said...

O meu Post de hoje é sobre o mesmo desafio...e...coincidência...escolhi a mesma Associação que tu.

Bom domingo e beijinho

Eva Shanti said...

Isabel,

Reproduzo aqui o que escrevi no teu cantinho.

Nunca é de mais falar do trabalho da APAV, lembrar que o silêncio não minimiza o sofrimento, que o primeiro passo para acabar com uma situação de vitimação é pedir ajudar, pedir informações, conhecer os recursos disponiveis, ter apoio psicológico e jurídico.

No entanto, apesar de inúmeras mulheres vítimas de maus-tratos acorrerem à APAV, há muitos outros crimes que deixam as suas mazelas (violação, abuso sexual, roubo, burla, etc.) e a APAV existe para todos (homens, mulheres, crianças, jovens e idosos, nacionais e estrangeiros).

Bjs

Eva Shanti said...

Leonoretta,

As tuas visitas são sempre bem-vindas!

Parrot,

E tu não és homem de dar ponto sem nó...

Musas,

Take your time. Nós esperamos!

Joca,

Obrigada. Volta sempre!

Polly Jean,

Sendo ex-voluntária conheces bem o trabalho da APAV e que há muito para fazer.

Não é fácil mudar mentalidades e não é fácil ajudar pessoas.

Primeiro, porque é preciso ter a certeza de que são pessoas que realmente precisam de ajuda - tal como em tudo, há pessoas não passam de oportunistas ou que acham que os outros fazem milagres. Segundo, os recursos são limitados.

Meia Lua,

E nós não podíamos dizer não a este desafio!

Ana,

Bom trabalho!

Alice,

Bom regresso! Fico à espera das tuas visitas.

Bjs a todos e boa semana

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras said...

Excelente iniciativa e mais um belo post.
Bjs

Nuno said...

Já está. É dedicado à AI.

Eva Shanti said...

Nuno,

:)

Bjs

Parrot said...

Não sei se pensar, se o teu comentário foi bom ou mau.....ai que esta gente toda vai pensar mal de mim. :-))))

Bjs

Eva Shanti said...

Parrot,

Claro que é um comentário elogioso!

E só quem não conhece o teu espaço é que pode pensar mal de ti.

Bjs