Thursday, March 09, 2006

Enxaquecas
gab6 by thepipes in flickr
Sou completamente odiada quando digo às outras mulheres que não sei o que é uma dor menstrual. Mas, embora não com muita frequência, sou “atacada” por violentas enxaquecas. Só quem as já teve ou tem é que sabe o horror que isso é.

Não me lembro da última. Da enxaqueca. O que se pode dizer que é bom. Mas tenho pânico que a dita cuja me apareça numa altura em que seja crucial a minha pessoa estar plenamente na posse de todas as faculdades mentais e físicas. É que elas aparecem sem aviso prévio, as mal-educadas! Aparecem e pronto. Pelo menos ainda não estabeleci uma relação causa-efeito que determine o aparecimento das enxaquecas, um padrão que me permita a proactividade de não abrir a porta a quem não convidei para entrar quanto mais para tomar café.

Tenho, sim, o medicamento ideal. A droga que me restabelece o bem-estar dentro do que é possível e desejável. Sem qualquer patrocínio da Bial e sem dispensa da consulta de médico ou farmacêutico, partilho que não vivo sem Migretil, just in case

Contudo, como sou daquelas picuinhas que gosta se saber a origem das palavras, indaguei, a propósito de uma conversa (séria?) com a mulher de quem herdei o património genético e muito mais, se viria do Latim esta palavra científica que denomina as fortes dores de cabeça que me assolam de quando em vez.

E, recorrendo ao dicionário, a surpresa: “enxaqueca” vem do Árabe ash-shakíka, que literalmente quer dizer “um lado da cabeça”, pois geralmente são dores de cabeça unilaterais.


Ou seja, a desculpa “Querido, hoje não que me dói a cabeça”, é tão velha (e nem sempre é desculpa, atenção!) que já vem do tempo dos Árabes e não dos Romanos, como se poderia à primeira vista pensar.


Bom, vai daí deve ser por isso que os espertos inventaram essa coisa dos haréns, para acabar com desculpas e não com as, como dizer – para bom entendedor bastava a letra q, mas vou tentar defini-las - actividades humanas e comuns da vida que acontecem entre duas ou mais pessoas de sexo diferente (ou não, mas isso já é outra conversa).


Será?


Eva pensadora….



15 comments:

Parrot said...

Eva, minha linda,

Como tens passado? Já ouvi dizer que o teu médico te diagnosticou um palavrão que não te vejo muito aí com ele. Não imagino a condizer contigo…..Descansar também é necessário. Cuida-te
Quanto à enxaqueca....é uma palavra muito "matreira" pois quando decomposta pode assumir vários significados :-))))

Beijo

P.S- Não encontro interpretação para a foto.....

Eva Shanti said...

Querido Parrot,

Começo pelo PS... É que gostei do coração de comprimidos!

Quanto à minha doença, que tem um nome chiquérrimo e em Inglês, aconteceu porque passei por muitas mudanças no meu último ano e meio de vida. A maioria das mudanças foram auto-impostas e eu sou muito exigente comigo própria.

Nesta altura estou sob uma pressão tremenda porque tenho objectivos muito ambiciosos. Um deles é extremanente difícil de conseguir, mas não é impossível. E vou lutar por aquilo que quero, podes crer que vou.

Por isso mesmo, embora não 100%, vou contrariar a doença e vou continuar a lutar.

Desconfio que sofro deste mal há muito tempo. Já tive fases em que estava down, mas sempre consegui vir ao de cima e, mudando de função, mudando de empresa, sempre dei a volta.

Há uma frase de que gosto muito: "Em psiquiatria, o mais sadio é que estejamos sempre inconformados e sempre adaptados".

O meu problema foi perder o equilíbrio...

Mas eu sou mulher de luta!

Já agora, e para quem queira saber mais: Síndrome de burnout

Não tenho problemas é afirmar que não estou bem, mas hei-de estar, e espero poder ajudar que também possa padecer desta doença dos tempos modernos...

Bjs

Maria Pedro said...

:D

Fantástico esse exercício de humor!
Parte já me tinhas contado...
Tás em grande forma, amiga!

Beijos!

xá-das-5 said...

olha que por acaso bem que pode ser por aí.
:)

Qto ao Migrétil... não chega aos calcanhares do Migraleve, mas enfim.

lr said...

do que gosto especialmente neste blog, além da parte estética, é encontrar temas interessantes e desenvolvidos q.b. - aprende-se sempre qualquer coisa.obrigada por isso, e boa recuperação.

Desconhecida said...

Bem...eu prefiro só a parte da queca, sem a enxa...lol. Falando mais a sério, também sofria imenso desse mal principalmente na altura da menstruação. Fiz acupunctura 1 vez por semana durante uns 8 ou 9 meses e só posso dizer que resultou em pleno, pois para além de agora só as ter ocasionalmente, a intensidade da dor não tem nada a ver. Penso que valeu a pena, pois segundo o Pedro Choy o resultado é para toda a vida. E olha que é bem verdade.

Beijo

eveonclouds said...

Não é incrivel o ser humano, Eva? Já eu sou aquele tipo de mulher que nunca, por nunca ser tem dor de cabeça! Nem que eu queira, para ter uma desculpa, nunca tenho...:)

Mocho Falante said...

pois já pensaste que essas enxaquecas podem ser praga ou mau olhado das invejosas que sofrem horrores com as dores menstruais???? Nunca se sabe minha amiga....aliás sempre ouvi dizer que ter uma gaja como inimiga é pior que beber ratax em vez de Nesquick pela manhã.

Depois esta coisa da Enxa...Queca tem muito que se diga, aliás eu se fosse a ti, quando te batessem à porta apenas deixava a Enxa de fora.

Beijos analgésicos minha querida Eva

spartakus said...

(com dores de cabeça estou eu mas deve ser de outra coisa. acho.)

deixa lá o palavrão e arriba. num há outra solução. b'tarde.

Isabel-F. said...

...gostei de saber a origem da palavra...e já me ri com o trocadilho que fizeram com a palavra...

felizmente não sei o que é...mas a minha filha tem...e sei que devrá ser bem horrível...(e toma o mesmo que tu...)

tem um bom fim de semana
bjs

moonj_Rita said...

Também tenho enxaquecas: é um horror!

Su said...

eu que o diga, pois sou especilista em enxaquecas...migraleve:)

jocas maradas

Abelhinha said...

Também sofro de enxaqueca.

No entanto, posso dizer-te que comigo as enxaquecas têm sintomas.

Começam por uma dor de cabeça muito ligeira que pode ocorrer até 8 dias antes da enxaqueca, passando por visão turva ou instável.

Outro sintoma é a sensibilidade acrescida aos sons (incluíndo música).

Também tomo o mesmo que tu.

Beijocas

Eva Shanti said...

Caríssimos,

Aqui só tenho a acrescentar que cada organismo é diferente um do outro.

Eu dou-me bem com Migretil. Outros, que padecem deste mal, preferem outros medicamentos.

Nestas coisas, cada um sabe de si e mai nada!

Bjs

Anonymous said...

Por acaso nem toda a gente sabe de si. Tomar comprimidos (Migraleve, Migrétil ou outros)para este tipo de problema,não é solução de todo.
Tente mudar de local de residência para local mais seco; a acupunctura é uma alternativa real e eficaz e em 3 meses isso resolve-se.