Saturday, March 04, 2006

The general election of 1983 saw Denis on the campaign trail once more

Denis Thatcher na Campanha de 1983



Convicções políticas à parte, assim como quaisquer outros julgamentos que envolvam Margaret Thatcher, a sua peculiar liderança e os seu 11 anos e meio do governo., a verdade é que Denis Thatcher (1915 – 2003), mais do que um homem de negócios, será para sempre lembrado como o leal e pacato marido da antiga Primeira-ministra britânica.


Empresário bem sucedido, com uma carreira em posições de topo, apesar de não ter sido academicamente brilhante, chegou a milionário. Esteve na II Grande Guerra e foi condecorado. Mas a notoriedade surge com o segundo casamento, quando Margaret Roberts, depois Thatcher, reduziu a largamente a vantagem do Partido Trabalhista, embora continuasse no poder. O romance desencadeou-se durante a campanha do Partido Conservador de que Sir Denis também era parte e o noivado foi anunciado no dia da vitória.


Dado curioso, a primeira mulher também se chamava Margaret e tal como o amor da sua vida, Denis conheceu ambas em eventos sociais.

Denis, then 36, married 26-year-old Margaret Roberts in London in December 1951
Denis, então com 36 anos, casou com Margaret Roberts, de 26, em Dezembro de 1951 em Londres

A lua-de-mel do casal foi passada na Madeira. Ao contrário de Denis, homem viajado e conhecedor do mundo, foi o primeiro contacto de Margaret Thatcher com Portugal.

Denis Thatcher tinha uma cultura acima da média, fruto de uma educação proporcionada por uma família endinheirada e um espírito aberto, de horizontes largos.

O casal teve dois filhos gémeos: Mark e Carol Thatcher.

Foi alvo de críticas constantes, de sátiras e tentaram fazer dele uma figura ridiculamente cómica, mas sempre teve um excelente poder de encaixe. Conhecido como bom jogador de golfe e apreciador gin (o que nunca negou), essas duas facetas foram exploradas ao máximo pela maledicência.


Homem simpático, afável era portador dos valores de gentleman tipicamente britânicos. Com uma auto-estima inigualável que o deixava confortável no seu papel de consorte da “Dama de Ferro”, nunca deixou de ser ele próprio e dizer algumas tiradas espirituosas a figuras públicas com uma calma que lhe era característica.


A única entrevista pública de Denis Thatcher data de 2002 e foi lançada em DVD, com o título Married to Maggie, sendo da responsabiilidade de sua filha Carol Thatcher.

Na sua autobiografia, Margaret Thatcher referiu aquilo que frequentemente dizia do homem que amava:” Eu nunca teria sido Primeira-ministra por mais de 11 anos sem ter o Denis ao meu lado”

Margaret Thatcher este no Governo de 1979 a 1990.

Denis was well known for his love of golf, and he often competed in charity events such as this one for a blind charity
Denis num evento de golfe cujos fundos reverteram para uma associação de cegos


Como consorte da primeira-ministra, para além das actividades de cariz social e humanitário, Denis aprofundou interesses comuns e desenvolveu amizades profundas com Nancy Reagan, Raisa Gorbachev and Barbara Bush, mas sempre, e segundo ele, sem segundas intenções: “ Nunca tive algum tipo de liberdades com elas e não estava a querer algo em troca ou algo parecido, pois não é esse o meu estilo”.


Aquando da sua morte disse Tony Blair: "Sir Denis era um homem educado e de bom coração, um verdadeiro cavalheiro, que tinha muitos amigos aqui e no exterior”


Eu acho que foi dose, amar uma mulher como Margaret Thatcher uma vida inteira, estar ao lado dela sempre, nos bons e maus momentos, momentos marcados por uma vida pública e por um cargo que implicava o destino de um país. Só pode ter sido por amor, nunca por obrigação.

27 comments:

xá-das-5 said...

achas?
:)

Maria Pedro said...

Bela investigação, Evinha! Belo modelo, também! Mas, de facto, na minha opinião, casos como este são casos excepcionais.

Talvez a questão nem se ponha tanto em termos de "are you strong enough to be my man", mas em termos de "do you love me enough to be my man/woman". Quando o comportamento do outro/a (nota: não as palavras mas o comportamento) indica uma resposta afirmativa, então a questão da força ou da compatibilidade nem chega a formular-se.

Quando é assim, how luckier can you get?

Eva Shanti said...

Xá,

Claro que acho.

O homem tinha dinheiro, tinha posição, tinha auto-estima, podia ter deixado aquela mulher quando quisesse.

Escusava de ter sido alvo de chacota durante anos, escusava de estar a tomar chá com a mulher e o Bush pai (ou outras figuras) e ouvir coisas do tipo: "Agora querido, tens de sair da sala que vamos falar de assuntos de Estado".

Bjs

Eva Shanti said...

MP,

Concordo contigo.

Mas acho que no "are you strong enough to be my man" está implícito o "do you love me enough to be my man/woman".

Por isso peguei no refrão da canção da Sheryl Crow para dar o título a este post.

Bjs

Lumife said...

Em Alvito acontece...

Já somos 44...

Esperamos muitos mais (Já pensou no assunto...?)


Bom fim de semana

Acmea said...

Óptima compilação de informação. E afinal também pode haver um grande homem por trás de uma mulher de armas!

lr said...

Aturar a Thatcher foi dose para qualquer um e, para ele, foi-o ainda mais... Seria amor? Se foi, o mais provável é que M. Thatcher tenha sido mesmo uma mulher, pelo menos a nível privado. Pela forma como governou, sempre me suscitou muitas dúvidas. Mas,lá diz o povo:'quando nasce uma panela, nasce o testo para ela'.

Eva Shanti said...

LR,

Realmente custa a crer que "aquilo" fosse uma mulher!

ehehehe!

Bjs

Eva Shanti said...

Acmea,

Obrigada pela visita!

Mas o importante é que até podia parecer que era uma homem por detrás de uma mulher, mas na verdade, Denis Thatcher foi um homem ao lado da mulher.

Mesmo quando pensamos em "grandes mulheres por detrás de grandes homens", porque não considerá-los lado a lado, cada um na sua função?

Bjs

Eva Shanti said...

Lumife,

I'm sorry!

Fica para uma próxima.

Bjs

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras said...

Como sou uma consumidora de biografias, adorei este post.
Beijos

spartakus said...

ele há tarados, há...b'dia.

Su said...

não tenho andado pela net..mas sentia falta do teu blog
agora vou ler tudoooo devagarinho, como gosto, como sempre é com prazer q te leio
jocas maradas

Eva Shanti said...

Tita e Su,

Obrigada pelas vossas visitas!

Bjs

Eva Shanti said...

Nota:

Em 1951, Margaret Thatcher conseguiu ser eleita pelo partido Conservador e o Partido Trabalhista reduziu a sua vantagem, mas continuando com o poder.

Foi durante essa campanha que Margaret e Denis se conheceram.

Corrigi o post, pois dava a impressão que MT tinha conseguido logo aí a maioria e, consequentemente o lugar de PM.

Margaret Thatcher teve 3 períodos de governação como PM:

- 1979–1983
- 1983–1987
- 1987–1990

Já agora a sempre útil Wikipédia - Margaret Thatcher

Bjs

Eva Shanti said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Eva Shanti said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Eva Shanti said...

Spartakus,

O Amor é louco ou deixa-nos loucos?

Bjs

Nekynho said...

Conta-se, sobre o Sir Dennis, que, estando na Madeira a passar a lua de mel com a Sra. Tatcher, resolveu ir jogar golf. Mas, passado pouco tempo desistiu e foi de novo para o hotel. Parece que o campo era tao pequeno que as bolas iam parar todas ao mar lol
Boa semana :o)
Baci :o)

spartakus said...

B´dia...pergunta curiosa...

Ana said...

O amor é cego... certo?? Pelo menos é o que se diz para aí à boca pequena...
Bjs

Eva Shanti said...

Nekynho,

Essa informação é de privilegiados ;)

Quem foi a tua fonte, hum?

eheheheheh

Bjs

Eva Shanti said...

Ana,

Diz-se que o Amor é tanta coisa...

Bjs

Armando S. Sousa said...

Eu acredito que tenha sido por amor que tiveram uma relação tão longa, mas também creio que a Maggie não era a "Dama de Ferro" nas suas relações privadas.
Gostei muito deste post.
Um abraço.

Rosa said...

As coisas que eu aprendi neste post! :)

Eva Shanti said...

Armando,

Acredito que profissionalmente e pessoalmente temos todos maneiras de estar diferentes, porque os papeis que desempenhamos também são diferentes.

Obrigada!

Bjs

Eva Shanti said...

Rosa,

Fico contente por ter "dado" alguma coisa!

Bjs