Monday, December 05, 2005


Segundas Edições? Só nos livros! *

Metáforas, comparações, parábolas… Acho-as a todas uma boa maneira de entender a vida e de passar esse conhecimento aos outros. É como se fosse uma ilustração e isso ajuda a que as nossas ideias sejam compreendidas.

Numa linguagem editorial, se olharmos para os relacionamentos como livros, se a coisa não correr bem, a experiência diz-me que não vale a pena insistir numa nova tiragem. A verdade é que a segunda edição, mesmo que tenha um novo prefácio, raramente será uma obra «revista e melhorada». Isso é verdade para os livros, não para as pessoas.

Aquela ideia de começar do 0 é um falso ponto de partida, pois, na realidade, parte-se sempre do -1, quando não do -2. O passado está lá e não desaparece só porque assim o queremos. É certo que devemos aprender com os nossos erros, sermos melhores como pessoas, lutar de forma adulta e responsável por aquilo que queremos e por quem amamos. No entanto, à mínima contrariedade, atiramos ao outro com o que supostamente estava perdoado, esquecido, ultrapassado. Na maior parte das vezes, aquilo que não gostávamos, seja na relação, seja no outro, não deixa de existir e há toda a probabilidade de se repetir. Se duas pessoas não funcionam em conjunto, nada como cada uma seguir o seu caminho e não perder a sua oportunidade de ser feliz.

Excepções? Existem, claro! Penso que Richard Burton e Elizabeth Taylor é o caso mais conhecido e explorado.

Visão pessimista? Talvez, mas não me tenho dado mal com esta forma de pensar. Tem-me permitido seguir com o meu projecto de vida. Tenho muitos livros por escrever. Os que estão escritos vão do cómico ao trágico, uns têm lombadas finas, outros alguns volumes. Ainda não perdi a esperança de conseguir uma obra-prima. Mas vou continuar fiel a este princípio: Segundas Edições? Só nos livros!

*Teoria da Eva
Foto encontrada em (des)afinado - http://dezafinado.blogspot.com

31 comments:

Ahraht said...

Eu acho que não se começa de tão longe... Há experíência acumulada.

Faço a mesma pergunta que fiz à Desconhecida:

Que é que têm esses cogumelos de Amesterdão?

beijo

As Musas said...

HUm ora deixa-me pensar... este post tem muito que se lhe diga:
1º - concordo. Nunca se esquece, pode-se perdoar, mas esquecer nunca...
2º - não concordo (isto tá confuso). Pode-se sempre começar do zero, talvez ai esteja o futuro, partir com s alma liberta para aquilo que se acredita.
A vida é cheia de altos e baixo, temos que aproveitar os altos para ser felizes e os baixos para aprender a não errar.
Jinhos

Mocho Falante said...

olha que às vezes experimentar o que outrora reciclámos é uma experiência fantástica...fala a voz da experiência

Beijos

Eva Shanti said...

Será que há relações recicláveis? Essa ideia de apanhar os cacos e fazer alguma coisa com eles, comigo nunca pegou, mas respeito imenso a experiência de vida dos outros.

Obrigada pelo contributo, Mocho Lindo!

Bjs

Henrique Santos said...

Acho que sim, tens razão, so o Richard e a Elizabeth...
Bjinho Ricky

Winters said...

Sim, de facto muitas vezes somos obrigados a recomeçar, mas a vida é assim, a vida é feita destas coisas.

Já agora, alguém falou em cogumelos de Amesterdão???

Eva Shanti said...

Henrique,
Winters,

Obrigada pelas vossas visitas.

Quanto aos cogumelos de Amesterdão, parece que sou culpada.

Para conferir tudo em www.druantia.blogspot.com

Bjs da Eva Marota

Isabel-F. said...

Por vezes é necessário recomeçar...

bjs

moonj_Rita said...

Força então para o recomeço.

Angela said...

Difíceis, estes recomeços. Muito difíceis. Os anos e as memórias não lhes perdoam.

frog said...

Eva! Concordo em absoluto com a tua teoria...


Bjs

Lumife said...

Diferentes modos de entender a vida.
Visão pessimista? Acho que não. Somente a tua visão. Como em tudo cada um tem o seu modo de ver e sentir.

Beijos.

JSilvio said...

;)
Era bom reeditar algumas coisas da vida ;)*

Arawn S said...

Tens toda a razão .. Eva ..

xá-das-5 said...

O que é verdadeiramente fantástico é o perdão após a raiva. Sem falar na conclusão física (que geralmente corre tão bem que se fica a pensar porque raio é que nunca foi assim).
Agora há que pensar e ter tino (sem Rãs). E se falhou à primeira o mais certo e rebentar à segunda.

Caracolinha said...

Depois de ler o teu comentário lá na casquinha não me admira rigorosamente nada chegar aqui e ler este teu excelente post ... alias à sensibilidade a dose de racionalidade necessária para saberes não re-editar romances ... essa é uma regra importante para não se voltarem a repetir os mesmos erros !!!!

Obrigada pelas tuas visitas à casquinha ... gosto muito :)))))

Beijoquinha encaracolada :))))

Caracolinha said...

Querida, faltou dizer uma coisa importante ... estava agora a falar com o nosso mocho e falámos de ti e do teu blog e notei que, de facto, o template está diferente .... muitos parabéns a vocês pela transformação ... as cores estão deslumbrantes !!!!

Beijinhos ;)

pipetobacco said...

{ ...

hoje não te.deixo

«aquilo que só se escreve»

deixo.te «aquilo que só se pode cantar»

http://www.epitonic.com/files/reg/songs/mp3/Arco-Driving_At_Night.mp3

... }

Mocho Falante said...

é que a malta não brinca em serviço

Thiago Forrest Gump said...

Concordo plenamente, o passado não some porque as pessoas simplesmente assim o querem.

wind said...

Concordo contigo. Não se deve recomeçar o que correu mal. beijos

Spiritman aka Bacardiman said...

Concordo plenamente com o slogan de... "...só nos livros!"

Há uma grande dificuldade hoje em dia de as pessoas se relacionarem, de as pessoas partilharem, de as pessoas aceitarem a diferença... até porque hoje não se educa para o SER, para a INTERIORIDADE, para valores concordantes com a verdadeira dimensão humana!! Educa-se para outras coisas tipo... chiclete deita fora!!!
Ora ninguém gosta de se queimar duas vezes ou andar ás escuras, e depois é impossível esquecermos a experiência passada, individual e colectiva, pois é ela que dá sentido a tudo, de modo que... concordo com o slogan!

Bjs mixed by Jameson!

Abelhinha said...

Está lindo o teu novo template.

Eu costumo dizer que quando se recomeça uma relação é semelhante a usar-se uma toalha onde caiu uma nódoa. Mesmo que saia e que ninguém a note, tu sabes sempre onde ela esteve.

Beijos.

Anonymous said...

Eva,

Hoje li um comentário teu em outro blog que fez aqui vir...
Li teu blog e gostei muito. Parabéns

Quanto ao post....2ª edições só nos livros...e de algumas músicas.

Beijo
Parrot

Maria Pedro said...

Também já escrevi dois livritos (técnicos...). Continuo à espera do livro principal. Disseram-me que se escrevia sozinho...

Ah! E já me contentava com uma edição única (e acabamentos artesanais, lombada improvisada, o que fosse...).

Arawn S said...

.. a beleza que vês nasce em ti .. a tua alegria .. o teu calor .. a tua força .. tb a vês nos outros .. porque ela é tua tb .. tu és assim mesmo .. bj .. S.

Eva Shanti said...

Isabel,
Moonj Rita,
Angela,
Frog,
Lumife,
Maxikeiro,
Thiago,
Wind,
Bacardiman,

Obrigada e voltem sempre!

Bjs

Armando S. Sousa said...

Eu também concordo com segundas edições só nos livros e não em todos.
Agora na vida, eu fui claro no passado, quando não dá, há que partir para uma nova vida. É tudo.
Um abraço.

Eva Shanti said...

Arawn S - A isso chama-se ter alma de poeta!

Maria Pedro - A tua maçã (3)é deliciosa, podes contar com mais trinkas!

Caracolinha - Já lá tens o teu recadinho!

Xá-das-5 - Sou tua fan!

pipetobacco - Obrgada por essas palavras que se cantam. É lindo!

Parrot, Abelinha - Thanks!

Mocho - «Transbordas no meu pensamento
e acordas a minha alma a cada instante».


Obrigada a todos! Se me tiver esquecido de alguém, I´m very sorry.

Eva Shanti said...

Armando,

E mai nada! 2ªs Edições só em alguns livros e em algumas músicas!

Bjs

Su said...

"Se duas pessoas não funcionam em conjunto, nada como cada uma seguir o seu caminho e não perder a sua oportunidade de ser feliz."

é isso mesmo que deveria acontecer a todos, tentarem serem felizes, cada um no seu caminho

jocas maradas